Qual o papel do PO no desenvolvimento dos bots?

Imagem: Rawpixel

O Product Owner (PO) é uma figura importante dentro do Scrum, uma metodologia ágil para desenvolvimento de softwares. Quem ocupa essa posição passa a ser um facilitador, alguém que está no meio de campo e conecta as pontas que dão forma ao produto: clientes, usuários e time de desenvolvimento.

E ao contrário do que muita gente pensa, o time de desenvolvimento é híbrido e reúne pessoas com habilidades e competências diferentes. Característica importante para tirar o plano do papel com sucesso.

Aqui na D1-Smarkio, por exemplo, além de PO, os times também têm:

  • Líder técnico, que fica à frente do time de desenvolvimento e faz a interface com PO
  • User experience Writer (UXW), que foca na construção dos diálogos e de toda experiência da pessoa usuária
  • Especialista em NLU e curadoria, para assistentes com Inteligência Artificial
  • Developers (DEV), que são as pessoas programadoras
  • Quality Assurance (QA) ou analista de testes, responsável por testes automatizados e pela qualidade do produto

O que faz o PO?

Conversamos com o Paulo Camargo, Chapter Lead do time de PO’s da D1, para saber como esse papel é desempenhado. Grande parte do trabalho do PO é comunicação, buscando sempre entender o cenário para criar estratégias, alinhar a visão do produto e explicitar o planejamento.

Segundo Paulo, o Product Owner conversa diretamente com o cliente para entender as oportunidades e as regras de negócio. Depois, precisa conhecer as necessidades das pessoas usuárias e o que realmente vai gerar valor para o produto, nesse momento o diálogo é realizado em conjunto a UXW da equipe, que também é peça fundamental para desenhar a jornada do usuário.

Com a liderança técnica é discutida a viabilidade das soluções, e o papo com o Scrum Master ajuda a entender a capacidade e agilidade de entregas do time de desenvolvimento. Com essas informações em mãos, mais o conhecimento de mercado, é possível traçar um plano estratégico de desenvolvimento da solução, com prazos e prioridades assertivas.

Imagem: Giphy

Entre as habilidades de um bom Product Owner podemos destacar: a capacidade de analisar riscos e oportunidades, criar estratégias de solução, visão global, saber priorizar, entender a regra de negócio, espírito de liderança e (o mais importante) comunicação.

Um bom indicador de qualidade do trabalho do PO é o quanto ele consegue mostrar o valor das decisões que precisam ser tomadas.

Por que ter um PO no time?

Direto ao ponto: para maximizar o retorno sobre investimento (ROI) daquele produto em desenvolvimento, esse é o principal motivo para se ter um Product Owner no time.

Mas como isso é feito? Garantindo que o foco esteja no lugar certo: onde gera maior valor para o usuário final e pode ser feito no menor tempo possível.

Existe uma parte do trabalho que é de consultor e de priorização. O dono do produto é capaz de dizer, com base em uma visão minuciosa de todo cenário, o que é realmente importante e o que é prioridade.

“Nosso cliente vai pedir um bot, nós vamos oferecer uma solução de atendimento digital” Paulo Camargo

Os riscos de não ter um PO no time são amargos: desperdício de dinheiro, tempo, oportunidade e valor. Geralmente isso acontece porque o foco passa a ser em entregar e não em aperfeiçoar, que é o que realmente gera valor.

Como saber se sempre estamos gerando valor para os usuários? Testando. Aí entra a fidelidade aos princípios do manifesto ágil de melhorias contínuas.

Imagem: Giphy

Paulo enfatiza que produto não é projeto, no sentido que, o projeto tem início, meio e fim, já o produto é feito em etapas, sempre usando os feedbacks da etapa anterior (feitos por usuários reais) para aperfeiçoar a próxima, em uma lógica de evolução constante.

Diferença entre PO e Scrum Master

O PO cria a estratégia e faz o planejamento com base no potencial produtivo do time, e está sempre um passo (ou dois) à frente. Já o Scrum Master acompanha o ciclo de desenvolvimento vigente, que no Scrum é chamado de Sprint, e tira do caminho o que estiver atrapalhando a agilidade do time, com o foco em garantir o nível de produtividade.

Com a orientação da Liderança Técnica e do Scrum Master, as demais pessoas do time de desenvolvimento aplicam sua expertise técnica de programação, usabilidade e testes automatizados, para tirar o planejamento do papel e dar vida ao produto, ou melhor, a uma versão dele.

Cada posição tem um papel fundamental para a qualidade da Inteligência Artificial Conversacional e, por isso, vamos escrever um artigo para cada uma delas, contando com detalhes o papel de cada profissional no desenvolvimento do bot. Logo, logo, sai do forninho!

E para fechar com chave de ouro, vamos deixar para vocês as indicações de conteúdos sobre Product Owner do Paulo Camargo. Entre os livros de cabeceira dele estão:

  • O líder 360º: Como desenvolver seu poder de influência a partir de qualquer ponto da estrutura corporativa”, por John C. Maxwell
  • A Startup Enxuta”, por Eric Ries
  • Gestão Moderna de Produtos Digitais: O Produto Digital como um meio de entregar valor para o usuário e para o negócio”, por Diego Eis
  • O Guia do Scrum

Você já leu algum desses livros? Tem outro conteúdo importante para indicar? Compartilha com a gente, coloca aqui nos comentários!

Inteligência Artificial, Desenvolvimento e UX para Assistentes Virtuais.

Inteligência Artificial, Desenvolvimento e UX para Assistentes Virtuais.